Thursday, November 23, 2006

Desculpem a interrupção,prometo voltar em breve.

Tuesday, April 11, 2006

A mim nem era preciso levarem-me...
Acho que me vou meter na droga. Porquê, perguntam vocês? Imaginem lá; estás a mandar uma seringada e de repente ouves a frase: "quietos cabrões, todos pó chão, policia judiciária." Até aqui tudo bem, é de homem. Depois um gajo vai na carrinha e tal, levas uns sopapos, normal, e chegas à sede da PJ. Depois vem um gajo ter contigo e diz-te isto: "olhe, agora tem que ir falar com o nosso director, o senhor Alípio Tiburcio." Neste momento eu cagava-me a rir e ainda levava mais nos cornos. Eu era gajo pa lá ir todos os dias nem que fosse só para ouvir esta frase. Ó Sócrates tem juizo pá! Achas que um individuo chamado Alípio Tiburcio merece a confiança e o respeito de alguém. Ah e tal, agora vais falar com o Alípio Tiburcio. Alípio Tiburcio...

Wednesday, February 22, 2006

A melhor frase de engate de todos os tempos!
"Oh murcona comia-te o sufixo todo."

Friday, February 03, 2006

É mesmo assim...

Monday, January 23, 2006



Descubra as diferenças!


Madre Cavaco de Boliqueime


Thursday, January 19, 2006

Grande Amaral!

Um camionista seguia a sua viagem cantarolando: "sou o João do camião, tenho muita tesão e sou um grande fodilhão!". Nisto, encontra uma freira a pedir boleia. Pára e diz que lhe dá boleia mas tem que mandar uma queca. Ela diz-lhe que não pode ser porque está com o periodo. Então ele sugere-lhe no bujão. A freira acaba por aceitar. Depois de lhe panetrar os entrefolhos, o joão, todo satisfeito começa novamente a cantar: "sou o João do camião, tenho muita tesão, sou um grande fodilhão e saltei-te para o bujão!". Diz a freira: "também posso cantar?". "Claro!", responde o João! De pronto a freira começou a cantar: "venho de um baile de carnaval, sou o Amaral e sou homossexual!"

E se os D"ZRT fossem assim?



Friday, January 13, 2006

Sair à noite e observar!
Sair à noite é o melhor remédio para a solidão, é bom observar as pessoas (e os cavalos como dizia o Hélder postiga). Reparem no tipo de pessoas de que vos vou falar:
Grupo Superbem:
O local favorito deles é a Kapital. São uma raça que nunca entrará em vias de extinção; reproduzem-se mais rápido que coelhos.Elas andan aos bandos e o passatempo favorito é dizerem mal de quem conhecem:ou porque lhes roubaram o namorado, ou porque aquela arranja um namorado todas as semanas, ou porque a outra já não tem namorado há mais de uma semana... outro pormenor importante são as idas à casa de banho, levam entre uma a três amigas. O que lá dizem é um segredo à altura do terceiro segredo de Fátima (por falar nisso, já descobri qual era o terceiro segredo! A Nossa Senhora disse à irmã Lucia que o segredo era que o Jesus iria conseguir treinar uma equipa sem descer de divisão; a irmã Lucia é que confundiu um Jesus com outro Jesus).Continuando. Conhecem-se todas umas às outras e odeiam-se todas umas às outras. Odeiam ser fotografadas para as revistas, mas estranhamente aparecem sempre lá!
Como não era digno falar somente delas, vou também falar deles. Os polícias têm um distintivo e eles uma camisa com um cavalo e um jogador de pólo! Se conseguirem engatar uma gaja, serão tão conhecidos como os Rolling Stones e mais conceituados que o Papa.
Os ácaros:
Existem em todo o lado mas não conseguem entrar em lado nenhum! E porquê? A roupa que usam esteve na moda no século XVII; o corte de cabelo precisava de ver as tesouras de Vidal Sasson. Como a vida é madrasta para alguns... os genes não foram nada simpáticos para eles. No entanto ficam à porta grande parte da noite sempre na secreta esperança que: a) o porteiro tenha uma quebra de tensão, desmaie e possam aproveitar para entrar; b) Deus exista e faça um milagre; c) algum deles se trnsforme num serial killer e que faça do porteiro a sua primeira vítima. Sugiro que organizem um sindicato, se não resultar comecem um tumulto.
Suburbanos:
Deixam os T2 na Rinchoa, Brandoa e Buraca, onde vivem com os pais, dez irmãos e quatro avós, na esperança de conseguirem entrar em algum sítio. A primeira vez que vão com a nova farda, os seus corações batem mais depressa do que um motor de um Ferrari, e quando o porteiro os deixa entrar então nem se fala! Ficam sempre nos locais mais escuros para ninguém perceber que as calças que usam não são Levis mas sim Lewis, e que o top não é Mango mas sim Mengo. Se não conseguirem distingui-los à primeira vista, o cheiro típico a lixivia e a linguagem com muitos bué, fónix e moça, denunciam-nos mais depressa do que se tivessem um placard ne néon a dizer "Eu sou da Damaia".
Os artolas:
Vestem-se de preto, têm um ar angustiado, e só eles e Deus sabem porque se intitulam artistas. Passam uma noite inteira com grandes teorias sobre a cena de trinta minutos do último filme do Manoel de Oliveira, conseguindo arranjar mais significado para essa cena do que o próprio realizador... são pseudo-intelectuais, para que tudo tem e deve ter sempre um significado, e onde, por exemplo, um filme só é digno de ser visto se for chato e de um realizador russo, polaco ou checo. Olham para todas as pessoas que estão à sua volta e que não são intelectualóides, como se fossem escaravelhos, se pudessem escravizavam-nos, obrigando-os a lavar sanitas de casas de banho públicas para o resto da vida. Eles são pintores, realizadores, actores e artistas plásticos... mas nunca ninguém viu nada que tivessem produzido, excepto as obras que estão guardadas nos seus próprios quartos. os mais novos olham para os mais velhos com a mesma veneração com que um cristão olharia para Jesus. Saem à noite para perpetuarem a sua imagem de artistas, porque lá em casa olham-se ao espelho e vêem que não passam de artolas! E mais não digo.